"Sonha que se sonha só, é um sonho que se sonha só"
Raul Seixas




De repente ela se depara com escritos da pessoa que nos últimos meses a fez feliz, a pessoa que mostrou de maneira despretensiosa que ela é capaz de amar e de deixar ser amada. Ele descreve bem o amor, a paixão suas vontades e anseios.

Ela o imagina lendo cada palavra olhando nos seus olhos. E lendo acha que foram escritas para ela. Mas infelizmente, pelo os acontecimentos, sabe que pode ser imaginação dela. Ele não faria isso.

De repente, abaixa a cabeça, mexe nos cabelos e diz baixinho: "Larga de ser pretenciosa!". E continua: "Por que ele escreve assim e se acovarda quando está diante da situação escrita? Por que ele tem medo?"

Aproveita e responde para si: "Ele já te respondeu! Infelizmente, assume que é covarte e tolo. Você não pode fazer nada, as cartas foram lançadas, ele não a quer."

Mas sonhadora que é, tenta voltar a realidade, mas fecha os olhos e sonha...

No Ipod: Vou Adiante - Luiza Possi


2 comentários:

Raffs 9 de dezembro de 2009 17:46  

Com o tempo aprendi a não ser covarde no amor. Falar o que pensa é o certo, mesmo que as consequências não sejam muito boas. A gente tem de arriscar!!

Bjus, querida!

Ingrith 18 de dezembro de 2009 11:34  

Oie, aqui o link pra foto que te falei no almoço

http://blogdaingrith.blogspot.com/2009/05/15-dias.html

Postar um comentário

  © DO MUITO E DO POUCO

Design by Emporium Digital