Motivos
Cecília Meireles



Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.
Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.
Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
- não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.
Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
- mais nada.


A mais pura das lembranças da minha infância, mamãe cantarolando e eu achando tudo muito lindo (Sim, hoje sei o quanto ela canta mal), mas é uma doce lembrança!  Na época não sabia do seu significado, mas são minhas lembranças que a traduzem, tem o meu significado e o significado que minha mãe quis dar. Isso que é importante! As minhas lembranças... Tem o gosto doce... Tem o gosto eterno... Tem o gosto da infância...

No Ipod:



2 comentários:

Will 5 de maio de 2011 11:22  

Hum... Delícia, versos recheados.
Abç

Rubens Ghidini 8 de maio de 2011 21:36  

Parabéns pelo blog! Belos versos, estes que li...

Postar um comentário

  © DO MUITO E DO POUCO

Design by Emporium Digital