Saudades




Você já sentiu saudades daquilo que nunca viveu? Daquilo que nunca teve? Estou assim, saudades infindas destes momentos, há também a saudades dos beijos e abraços, de olhar nos olhos que me seduzem, mas essas saudades vão muito além, além da saudades que sinto de você. E como diria Drummond: "Também temos saudades do que não tivemos. E dói bastante". Dói, dói demais, dói como uma punhalada no peito, dói porque não sei se serei capaz de permitir que isso que sinto saudades aconteça. Porque? Porque tenho medo, estou tão covarde quanto você. Acho que não tem noção, acho que você não sabe o quanto eu ainda estou apaixonada, o quanto ouvir a sua voz me deixa nas nuvens e me encanta, o quanto ler-te ainda me faz pensar que cada trecho é para mim, o quanto eu achava brega ser chamada de princesa e vindo de você é perfeito. Eu disse uma vez: 'Apenas sinto saudades. E espero.' É o que eu vou fazer, esperar, esperar a hora, esperar o momento, esperar você. Enquanto isso, vivo e espero...

No Ipod:

4 comentários:

Simplesmente... Chiara 14 de junho de 2010 16:19  

Seu post me lembra um post meu antigo.

http://migre.me/OUjr

É amiga te entendo tão bem.

Belo texto.

Belle Goes 27 de junho de 2010 09:09  

Nika querida!!! Vc tem blog! :D Adorei seu post e te achei sem querer fuçando os favoritos do Keko. Sobre seu post, não ter saudades de nada é não ter nada na vida! Diz o verso de uma música: "Saudade até que é bom, melhor do que caminhar sózinho." Grande abraço.
Belle.

Christopher Price 16 de janeiro de 2012 11:14  
Este comentário foi removido pelo autor.
Roderick Verden 16 de janeiro de 2012 11:21  

Saudadades do que não vivi, não é algo sem nexo, como pode parecer, e dói mesmo, como você disse no seu bonito texto.

Ando com saudades do que vivi e do que não vivi com ela, do que gostaria de ter vivido intensamente.

Postar um comentário

  © DO MUITO E DO POUCO

Design by Emporium Digital